313 estrelas é o resultado em forma de livro — e três cartazes — de uma pesquisa descompromissada sobre a nomenclatura oficial das estrelas.
T E X T O  &  I M A G E N S  
H A N N A H  U E S U G I
O  P R O J E T O

A criação deste livro da mini editora teve um processo diferente dos demais. Ao invés do conteúdo anteceder o projeto gráfico, uma vontade gráfica pautou a pesquisa e o projeto acabou surgindo de forma espontânea.

Já tinha um tempo que eu estava planejando fazer algum projeto com glitter — mais especificamente: tira de fita adesiva dupla-face coberta com glitter. Essa solução havia surgido em experimentos gráficos que realizei para outro projeto da mini, mas eu ainda não havia encontrado o conteúdo ideal para a minha intervenção brilhante. 

Foi numa véspera de Plana Festival que eu tive a ideia de relacionar o glitter às constelações e comecei a pesquisar livremente sobre o assunto que vinha me intrigando desde as minhas últimas viagens à praia em noites de observação de estrelas a olho nu.

A  P E S Q U I S A

Já no início da minha pesquisa sobre as estrelas, um dado interessante se apresentou: foi apenas em 2016 que uma comissão de astrônomos de diversos países, coordenada pela IAU — International Astronomical Union, começou a catalogar os nomes oficiais das estrelas. Até então, haviam os nomes populares usados de forma coloquial e os cientistas utilizavam uma designação alfa-numérica internacional para fins profissionais.

Com base nas tradicionais nomenclaturas que foram criadas por diversas culturas desde a pré-história e em votações populares pela internet, a IAU vem selecionando e divulgando periodicamente listas atualizadas com os nomes oficiais dados às estrelas mais brilhantes do céu. Neste projeto, eu utilizei a lista mais recente até então — a de 19 de novembro de 2017 — onde constavam 313 nomes de estrelas.

Para visualizar toda essa informação, após alguma pesquisa de formas de representação celeste, decidi adotar a do SFA Observatory que divide o céu em três mapas celestes: céu da região polar norte (o círculo que aparece na quarta capa do livreto), céu da região polar sul (o céu visto do hemisfério sul, portanto, o da capa) e céu da região equatorial (um retângulo que abrange parte dos dois círculos mais a cinta mais próxima da linha do equador, e aparece na dupla central do livro).

O  C O N T E Ú D O

Além dos três mapas ilustrativos, 12 páginas do livro são compostas inteiramente pela lista de 313 estrelas, acompanhadas de suas respectivas identificações de brilho, suas constelações e coordenadas celestes.

Na página inicial, como uma epígrafe, aparece a frase do biscoito da sorte que eu tirei durante a concepção do livro e me pareceu auspiciosa para o momento:

"Não contemple o céu do fundo de um poço."

U M A  E X P L I C A Ç Ã O

O conteúdo já estava completo: a lista com os nomes e os mapas necessários para ilustrar toda aquela informação. 

Uma explicação mais técnica, no entanto, me pareceu necessária para que os leitores pudessem usufruir da experiência completa de encontrar as estrelas nos mapas celestes e uma nota técnica precisou ser anexada ao livreto,

A solução de projeto para esse "anexo" foi a de imprimi-lo na mesma lâmina transparente que serviu de suporte para o glitter da capa, deixando-o no centro da brochura — próximo ao mapa da região equatorial — para fins de consulta.

S E M  G R A M P O  E  S E M  L I N H A

A encadernação do livro foi pensada para facilitar a desmontagem do livreto, caso fosse da vontade do leitor destacar os seus mapas para outros fins ou mesmo retirar a explicação técnica sobreposta ao mapa central. 

As folhas estão soltas na brochura, apenas dobradas e intercaladas pela lâmina transparente que segura — sem prender — as páginas prateadas no seu devido lugar.

T R Ê S  C A R T A Z E S

Além do livro "313 estrelas", três cartazes foram criados com os mapas celestes. 

Neles, os 313 nomes aparecem listados, porém, só são contados aqueles que constam naquele pedaço de céu especificamente. As estrelas ausentes estão riscadas e ficam fora da conta.

89 estrelas no céu da região polar norte, 282 estrelas no céu da região equatorial e 45 estrelas no céu da região polar sul.
F I C H A  T É C N I C A

EDITORA 
MINI EDITORA   

PESQUISA E PROJETO GRÁFICO 
HANNAH UESUGI   

DADOS 
INTERNATIONAL ASTRONOMICAL UNION   

BASES DOS MAPAS 
SFA OBSERVATORY   

FONTES 
UNIVERS NEXT PRO E GRETA SANS CONDENSED   

FORMATO FECHADO 
15X15CM   

PÁGINAS 
20   

FORMATO DO CARTAZ 
20X40CM   

IMPRESSÃO 
JATO DE TINTA 1X1 COR   

PAPÉIS 
COLOR PLUS MAR DEL PLATA 120 G/M² E ACETATO   

TIRAGEM 
IMPRESSÃO SOB DEMANDA   

ANO 
2018